Brumadinho: crime ou tragédia?

 A triste e revoltante reprise de um recente filme da vida real, que provocou a morte de diversas pessoas e a destruição da vida de milhares de outras em Mariana, volta a ocorrer em Brumadinho, em proporções ainda mais graves.

Poucas vezes na vida fiquei sem palavras. Desde pequeno, eu falo o tempo todo. Falo e escrevo, sem parar. Com o passar dos anos, fui ficando mais seletivo, mas continuo falando e falando … E falando.

Por isso, tenho tanto medo de me manifestar sobre o que está acontecendo em Brumadinho, Minas Gerais. Tenho medo de falar algo do que eu possa me arrepender depois.

Infelizmente, não controlo isso. Mesmo sem palavras, vou ter de falar. Senão, posso me sufocar.

A dor e a indignação por Mariana ainda estão na garganta. Uma cidadezinha histórica, perto da formosa Ouro Preto, a pouco mais de cem quilômetros de Belo Horizonte. Vidas e histórias destruídas.

Agora, Brumadinho. A linda e aconchegante Brumadinho. Pertinho de BH, um dos roteiros turísticos mais visitados. Desde o conhecido Instituto Inhotim, até a simples e aconchegante cidade, com suas lindas e acolhedoras pousadas. É Minas para todo lado.

Meu filho e seus colegas estavam lá, há pouco mais de um dia dessa tragédia criminosa. Congelo minhas pernas só de pensar nisso.

Muito pouco depois do vazamento da barragem, comecei a receber mensagens, de todo o tipo, vindas de todas as partes. Desespero total. Pânico, angústia, sofrimento, enfim, toda sorte de sentimentos ruins criaram uma densa nuvem de dor sobre nossa região.

E assim, estamos, até agora. Imersos na dor. E apavorados pelo fato de que o pior pode ainda não ter acontecido em sua abjeta plenitude.

Ao mesmo tempo em que vidas são procuradas na lama, ainda existe o forte risco de novas rupturas de outras barragens, irresponsavelmente localizadas na região.

Canalhas! Dessa vez, vocês vão ter de pagar!

O preço da impunidade é a reincidência criminosa. Três anos depois de Mariana e ninguém sequer chegou perto da prisão. Ninguém foi responsabilizado.

Exceto as milhares de vidas vitimadas pela Samarco. Sim, foram milhares. Não somente as vidas perdidas, mas todas as que foram tocadas pela destruição, pelo desamparo ou pelo desemprego, que seguiu o curso do Rio Doce, até chegar no mar.

Vidas arrancadas. Vidas tocadas, da pior forma possível.

Criminosos! Isso é o que vocês são: criminosos!

Apesar da revolta, a hora é de fé, de esperança. O governador do Estado de Minas, em mais uma infeliz manifestação, afirmou que somente serão resgatados corpos, da lama.

Ele está errado!

Novamente. Ainda há vidas a serem salvas. Eu tenho certeza de que muitas vidas ainda surgirão, seja da lama, ou de qualquer lugar oferecido por Deus para proteger seus filhos.

Muitos perderam tudo. Mas ninguém pode perder a esperança.

Feito o rescaldo, temos de passar o Brasil a limpo. Não temos muito tempo. Antes que aconteça de novo. E de novo, e de novo.

Até que chegue o dia em que, estaremos tão acostumemos com a dor, que não mais a sentiremos, por estarmos anestesiados ou insensíveis, pela banalização da vida humana, diante do interesse mesquinho dos que somente querem lucrar.

Que Deus abençoe e ajude a aliviar a dor de todos os que sofrem por suas perdas, e que Ele possibilite que mais pessoas sejam encontradas com vida.

E que essa nuvem de dor, que paira sobre todos nós, mineiros e brasileiros, possa dar lugar ao sol da esperança, de um futuro próximo, com mais segurança e decência, para todos nós.

Ninguém vai descansar, enquanto não houver JUSTIÇA!

A todos, que sofrem com essa dor, que não consigo sequer imaginar, que Deus esteja com todos vocês, aliviando seus corações, confortando-os nesse momento de tamanhas provações.

 

André Mansur Brandão
Diretor-Presidente, Advogado e Escritor

ANDRÉ MANSUR ADVOGADOS ASSOCIADOS

Veja Mais

MUITO CUIDADO: ALERTA DE FRAUDE!

Todos os nossos canais de comunicação amanheceram, na data de hoje, 02 de setembro de 2021, superlotados com o contato desesperado de centenas, na ver...

Deixe seu comentário